Páginas

3 de fev de 2014

Lendas Urbanas Paranaenses

Bom, como fiquei sem muito assunto essa semana, vou postar lendas urbanas da minha cidade (Curitiba-PR aeHOOOOOOOOOO), enquanto termino o conto de Alice...

*********************************************************************

Em Curitiba, bem no centro da cidade, existe uma praça chamada Santos Andrade, onde existem elementos interessantes, como: árvores centenárias, prédio histórico da Universidade Federal do Paraná e muitas Lendas Urbanas, que leremos abaixo:

Aulas de Anatomia com Cadáveres:

Reza a lenda, que no século passado, as aulas do curso de Medicina eram no prédio histórico da Universidade Federal do Paraná, localizado na Praça Santos Andrade e que as aulas de Anatomia, eram realizadas no porão desta faculdade, com cadáveres reais de indigentes.

Dizem que naquela época existia uma estudante de Medicina chamada Laura, que tinha a fama de santa, pois era religiosa, dava aulas de catequese, vestia-se com discrição e curava as pessoas com as palmas das mãos. Houve boatos, que nas aulas de Anatomia, até os defuntos mudavam de cor quando esta jovem tocava neles.

Uma certa noite, Laura estava caminhando no centro de Curitiba, na parte mais escura da Praça Santos Andrade, quando viu um morador de rua sendo esfaqueado. A moça correu para o meio da confusão e o responsável pelo crime fugiu apressadamente. Então, a jovem notou que o mendigo estava quase morrendo, com dificuldade de respirar, porém mesmo assim ela tentou salvar a vítima. No meio do socorro, o esfarrapado disse a Laura:
- Moça, o diabo está me chamando!
- Por favor, não deixe a minha alma ir para o inferno.
A donzela respondeu:
- Só há uma maneira para isto: o seu espírito auxiliar a sociedade, depois de seu falecimento.
O indigente ficou desesperado:
- Como poderei ajudar?!
- Já tive uma idéia:
- A senhorita deve ser estudante de Medicina...
- Então, se a minha alma doar o meu corpo para as aulas de Anatomia, será que eu fico livre do inferno?
A dama respondeu:
- Há uma grande possibilidade. Mas, existe uma condição: o seu espírito nunca deverá sair da Praça Santos Andrade e a outra missão dele será aconselhar os moradores de rua contra a violência.
Após, escutar estas palavras, o esfarrapado, morreu. Algum tempo depois seu corpo foi aproveitado nas aulas de Anatomia. Reza a lenda que o fantasma dele vaga pela Praça Santos Andrade para conversar com outros moradores de rua.



O Casal Que Morreu na Praça:

Nos anos oitenta a empregada doméstica Izabel, que trabalhava num prédio perto da Praça Santos Andrade, era apaixonada pelo porteiro de um prédio vizinho chamado Pedro. Porém, o pai da donzela proibiu o namoro. Mas, mesmo assim, o casal sempre combinava de namorar, às escondidas, num banco da Praça Santos Andrade, que ficava debaixo de uma árvore centenária.

Um certo dia, os dois estavam namorando no banco, quando de repente, o tempo fechou. Porém, o casal apaixonado não notou a mudança no clima e continuo se beijando. Mas, de repente, um raio caiu na árvore centenária partindo um galho ao meio, que caiu bem na cabeça de Pedro e o pobre faleceu na hora. Alguns dias depois, Izabel suicidou-se. Reza a lenda que nos dias de chuva é possível ver o casal namorando na praça e quando alguém se aproxima dos dois apaixonados, os espíritos deles somem.


Um comentário:

  1. Bora ir la de noite e chovendo Dr. Cabulouso. Pelo jeito na Santos Andrade tem combo de fantasmas. Huehuehue

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...