Páginas

29 de jul de 2014

A Carta

''Um dia, na escola, como qualquer outro dia... Estava no horário da saída e as pessoas estavam tão afobadas para irem embora, que ninguém conseguia caminhar direito no corredor. Detestava aquilo. Entrei em uma sala, para esperar que aquela manada de imbecis saíssem logo, para que eu pudesse ir também sem ser pisoteado.

Quando olhei para o chão, encontrei um papel e peguei. Estava dobrado e meio sujo. Quando o abri, tinha um texto. Guardei no bolso e fui para o corredor. Desci as escadas e finalmente estava fora daquela escola – que secretamente apelidei de “antro infernal”. Já no ônibus, sem ninguém para ficar me torrando a paciência, desdobrei o estranho papel e comecei a ler.

''Ah, com relação a vocês, o Diabo teria mais piedade do que eu.

Para começar, costuraria a boca, para evitar gritaria. Lentamente eu lhes arrancaria todas as unhas dos pés, banharia em álcool e deixaria secar em sal. Repetiria o ato em suas mãos, mas ao invés deixar secar, pregaria seus dedos na parede com marteladas generosas e pregos enferrujados. Extrairia dente por dente e caso me desse vontade, arrancaria o nariz ou deslocaria o maxilar.

Ah, relacionado a vocês, o Diabo teria mais piedade do que eu.

Com ácido sulfúrico, derreteria as raízes do cabelo, sem deixar sobrar um fio... Ah, é verdade, sequer sobraria couro cabeludo. Se homem, martelaria os testículos e o penetraria com um cabo de vassoura cheio de areia. Se mulher, colocaria agulhas em sua vagina e ânus. Serraria os pés e após fazê-lo, o desmembraria na frente do torturado, para o seu deleite. Aquela face incrédula me excita.

Ah, relacionado a vocês, o Diabo teria mais piedade do que eu.

Com uma boa faca de carne, tirar-lhes-ia a pele, desde os ombros até as coxas. Se o rosto fosse muito bonito, também cortaria as bochechas fora. Penduraria de cabeça para baixo, feito um porco... Afinal, eles não passavam de porcos imundos. Tratar-lhes-ia desta forma. Daria restos aos cães, deixando que o torturado o visse, enquanto a hemorragia o levaria ao óbito.

Ah, nem mesmo o pior dos seres faria o que fizeram comigo... Acho que vocês iriam preferir encarar o Diabo ao invés sentirem a minha ira.
Deleitar-me-ei com o sofrimento de vocês, exatamente como fizeram comigo.”

Depois de terminar de ler, fiquei imaginando que tipo de retardado teria escrito aquilo. Amassei e joguei pela janela, aos risos.

No outro dia, a polícia deu um garoto do ensino médio como desaparecido e a escola estava uma completa bagunça. De semana em semana, um aluno desaparecia...

Passado um mês, encontraram os corpos dos desaparecidos em um galpão não muito longe da escola. Todos pendurados de cabeça para baixo...''

Créditos: Melancolia Amarela

27 de jul de 2014

Al-Qaeda

Cerca de 99,9% da população mundial, para não dizer todos, conhece ou já ouviu falar da Al-Qaeda e seus ataques terroristas. Porém, há quem fale dela e a julgue sem conhecer propósitos, idéias, religião, entre outras coisas. Ao falar na Al-Qaeda para a maioria das pessoas, elas vão pensar/dizer "Osama Bin Laden" e "11 de setembro".

Mas bem, que tal, então, falarmos dessa organização secreta?

Muito bem. Al-Qaeda (القاعدة em árabe) é uma organização fundamentalista islâmica internacional que visam reduzir a influência não-islâmica sobre assuntos islâmicos. O grupo segue um comando pelo Jihad (baseia-se como uma luta, por vontade pessoal de cada, em busca da fé perfeita), que luta contra judeus e cruzados. O grupo foi nascendo a partir de 1988, sendo o famoso Osama Bin Laden um dos líderes fundadores. Inicialmente, pela parte de Bin Laden e de um outro membro, gostariam de usar o termo "Frente Internacional pelo Jihad contra os Judeus e Cruzados", mas acabaram por adotar "Al-Qaeda", apesar de ter sido oficialmente reconhecido tal nome a partir de 2001.



A origem original do nome é desconhecida. Bin Laden é/era a melhor fonte em pessoa para o nome. Em um discurso, em 2001, Osama citou: "O nome 'Al-Qaeda' foi estabelecido há muito tempo atrás por conveniência. Abu Ebeida El-Banashiri liderou os campos de treino para os nossos mujahidin contra o terrorismo russo. Nós costumávamos chamar o campo de treino Al-Qaeda. E o nome ficou.".

A inspiração filosófica da Al-Qaeda vem dos escritos de Sayyid Qutb, um pensador proveniente da Irmandade Muçulmana, cujos textos inspiraram a maioria dos principais movimentos militantes islâmicos hoje ativos no Médio Oriente. O autor defende uma revolução islâmica armada para a sobreposição de todos os regimes não guiados pela lei islâmica, e reitera a expulsão de milícias e empresas ocidentais de todos os países muçulmanos.

As últimas metas da Al-Qaeda, segundo o próprio grupo na internet e em canais de televisão, é restabelecer o Califado (é a forma islâmica de governo que representa a unidade e liderança política do mundo islâmico. A posição de seu chefe de Estado, o califa, baseia-se na noção de um sucessor à autoridade política do profeta islâmico Maomé) do mundo islâmico, e, para isso, trabalham com quaisquer grupos extremistas, organizações ou governos que lhes permitam atingir essa meta. Os fundamentos originais da Al-Qaeda originária são fortemente anti-sionistas.

A Al-Qaeda acredita que os governos ocidentais e, particularmente, o governo estadunidense, agem contra os interesses dos muçulmanos. As suas faltas, segundo o grupo, incluem:

* provisão de apoio econômico e militar a regimes opressores dos muçulmanos (por exemplo, o suporte estado-unidense a Israel);

* o veto da Organização das Nações Unidas em relação a sanções propostas contra Israel;

* tentativas de influenciar os assuntos de governos e comunidades islâmicas;

* suporte direto, através de armas ou empréstimos, a regimes árabes anti-islâmicos

* presença de tropas em países islâmicos, especialmente na Arábia Saudita;

* a invasão do Iraque em 2003 (independentemente de supostos confrontos entre Saddam e a Al-Qaeda).

Além dos ataques de 11 de Setembro de 2001 ao World Trade Center em Nova Iorque e ao Pentágono em Washington, crê-se que a Al-Qaeda esteve envolvida em tais ataques:

* embaixada americana em Nairobi, Quénia, em 7 de agosto de 1998;













* embaixada americana em Dar es Salaam, Tanzânia, também em 7 de agosto de 1998;













* bombardeiro USS Cole, atracado no Iêmen, em 12 de outubro de 2000;














* ataques ao metrô de Londres, em 7 de julho de 2005.

















Pensa-se que o líder militar da Al-Qaeda era Khalid Shaikh Mohammed, até ter sido detido no Paquistão em 2003. O líder prévio tinha sido Mohammed Atef, morto num bombardeio americano no Afeganistão em finais de 2001.

Mohammed Atef e Khalid Shaikh, respectivamente

Apesar da estrutura atual da Al-Qaeda ser desconhecida, as informações adquiridas principalmente do desertor Jamal al-Fadl deram às autoridades americanas um esboço cru de como o grupo estava organizado. Enquanto a veracidade das informações fornecidas por al-Fadl e a motivação para esta cooperação sejam controversas, as autoridades americanas baseiam muito de seu conhecimento atual sobre a Al-Qaeda em seu testemunho.

Bin Laden foi o emir da Al-Qaeda (apesar de originalmente este papel ter sido de Abu Ayoub al-Iraqi), eleito por um conselho shura, que consiste em membros seniores da Al-Qaeda, que oficiais ocidentais estimam ser cerca de 20 a 30 pessoas. Após sua morte, em maio de 2011, depois de um ataque de comandos dos SEALS norte-americanos à sua mansão na cidade de Abbottabad, no Paquistão, no dia 16 de junho de 2011, em comunicado transmitido por vários sites jihadistas do mundo árabe na Internet, a organização informou que o médico e braço-direito de Bin Laden, Ayman al-Zawahiri, passou a ser o novo líder da organização terrorista, como uma maneira de "honrar o legado de bin-Laden".

Ayman al-Zawahiri

Alguns especialistas em organizações dizem que a estrutura de rede da Al-Qaeda, opostamente a estrutura hierárquica organizacional é sua força primária. A estrutura descentralizada permite à Al-Qaeda ter uma base distribuída pelo mundo inteiro enquanto mantém um núcleo pequeno. Estima-se que 100.000 militantes islâmicos tenham recebido instruções nos campos de treinamento da Al-Qaeda desde sua intercepção.

A Al-Qaeda não tem uma estrutura clara e isto permite o debate sobre quantos membros compõem a organização, se são milhões espalhados por todo o globo ou se são até zero. De acordo com o documentário controverso da British Broadcasting Corporation, O Poder dos Pesadelos, a Al-Qaeda é tão fracamente unida que é difícil dizer se existe algo além de Osama Bin Laden e de um pequeno grupo de íntimos associados. A falta de quaisquer números significativos de membros convictos da Al-Qaeda, apesar de um grande número de prisões sob a acusação de terrorismo, é citado no documentário como uma razão para se duvidar se uma entidade espalhada casa com a descrição da Al-Qaeda de alguma forma. Ainda, a extensão e a natureza da Al-Qaeda permanecem um tópico de discussão.

O movimento radical islâmico em geral e particularmente a Al-Qaeda se desenvolveram durante o renascimento islâmico das últimas três décadas do século XX, junto com outros movimentos menos extremistas.

O primeiro atentado militante que a Al-Qaeda alegadamente realizou, consistiu-se de três bombas em hotéis onde tropas americanas estavam hospedadas em Aden, Yemen, em 29 de dezembro de 1992. Dois turistas, um do Yemen e outro da Áustria morreram neste atentado.

Mapa de ataques mundiais cometidos pela Al-Qaeda



Há protestos aclamados de que as operações da Al-Qaeda foram responsáveis pelo abatimento de um helicóptero norte-americano e na morte de norte-americanos em serviço na Somália em 1993. 

----------------------------------------------------------------------------------------------------

Está aqui, resumidamente, movimentos e protestos e ataques da Al-Qaeda. Quais conclusões podemos tirar? Se o fazem por religião, tudo isso vale a pena por Deus? Como pode Bin Laden, por sua religião, ir ao encontro do Todo Poderoso com o fardo nas costas de milhares de pessoas inocentes? Isso é certo ou errado? Quem diz é vocês...


26 de jul de 2014

Canadá Busca Sonda em Armas Apreendidas pela ONU em Gaza


O governo canadense pediu uma investigação da ONU sobre as descobertas relatadas de esconderijos de armas nas escolas na Faixa de Gaza, informou Global Post. De acordo com o ministro dos Negócios Estrangeiros do Canadá, John Baird, foi chocante que os estoques de foguetes foram encontrados em uma escola administrada pela Agência das Nações Unidas de Socorro e Trabalho em Gaza.

Mais alarmante relatos de que, no primeiro caso, os funcionários com as Nações Unidas voltaram essas armas para o Hamas, depois que autoridades israelenses descobriram a localização de armas armazenadas. Canadá apresenta o Hamas como uma organização terrorista

No entanto, Baird não revelou a fonte de tais alegações. Ele acrescentou que o Canadá queria uma sonda de imediato por uma agência de investigação independente para trazer a verdade factual em torno desses relatórios. Canadá também pediu que as Nações Unidas para garantir que nenhum foguetes são devolvidos ao Hamas. O ministro das Relações Exteriores canadense também disse que qualquer coisa aquém de uma investigação independente seria inaceitável para o seu país.


Os funcionários da ONU havia informado a apreensão de armas em uma escola vaga na Faixa de Gaza, a segunda vez em uma semana. Enquanto isso, a agência da ONU para refugiados palestinos, a UNRWA, disse que já tinha lançado uma investigação sobre os 20 foguetes escondidos em suas escolas vagas na Faixa de Gaza.

A agência da ONU condenou o incidente como uma violação flagrante do direito internacional e afirmou que os foguetes tinham sido removidos e as partes interessadas foram informadas

PROGRESSO À VISTA

Enquanto isso, os Estados Unidos manifestaram a sua satisfação com os sinais de progresso nas negociações de cessar-fogo, embora seja muito cedo para buscar um fim rápido para o conflito, relata CTV News. Ferozes batalhas no sul de Gaza teve forte impacto, e 695 palestinos e 34 israelenses morreram.

John Kerry, o secretário de Estado dos EUA, está intermediando ativamente uma trégua, e ele reuniu-se com o chefe das Nações Unidas, Ban Ki-moon, antes de correr para Israel. Mas os negociadores estão enfrentando o desafio dos estandes de endurecimento por Hamas e Israel. Israel está determinado a cortar as capacidades militares do grupo militante Hamas.

VISTA HAMAS

Hamas insiste que seus militantes não se moveu até que o bloqueio egípcio-israelense da Faixa de Gaza seja levantado. O líder do Hamas Khaled Mashaal, em um discurso transmitido pela televisão a partir de Doha, disse no conflito em curso, Israel é o carrasco, agressor, ocupante e colonos e os palestinos são os verdadeiros donos da terra. Portanto o Hamas não vai aceitar nada menos do que um fim completo do bloqueio. Hamas governa o território costeiro de Gaza empobrecida.

Shrek é amor, Shrek é vida

Um estranho e bizarro vídeo está rodando pela internet... Bem, como muitos sabem, há dezenas de crenças diferentes. E há também grupos que dizem que, tudo que é acreditado em demasiado, torna-se real. Bem, esse vídeo em questão, conta a história de um garoto de 9 anos de idade (que, no vídeo, aparenta ter uns 16, mas ok...) que é maltratado em casa, por acreditar no Shrek. Sim, o garoto trata Shrek como um Deus. Tirem suas próprias conclusões...


2 de jul de 2014

Megalodon


Muitos já ouviram falar do poderoso e temível Ness, o monstro do lago Ness. Uma criatura aquática, supostamente de água doce, que aterroriza marinheiros, pescadores e seres aquáticos. Teria a aparência semelhante de um dinossauro. Porém, vamos falar de um colosso dos mares. O Megalodon, ou Carcharodon megalodon (nome científico). Megalodon foi um colossal tubarão que viveu, aproximadamente, entre 20 a 16 milhões de anos atrás.

Possuía cerca de 15 a 20 metros de comprimento, e pesava 35 toneladas. O maior carnívoro que já existiu. Assemelha-se muito ao nosso tubarão branco. As únicas provas que temos da sua existência são os dentes, vértebras e esqueletos parciais encontrados. Tal como os atuais tubarões, o esqueleto do Megalodon era principalmente constituído por cartilagem, por isso é bastante difícil encontrar fósseis deste tipo de animais.


Sim, ele poderia engolir um elefante com uma dentada só. Os fósseis foram descobertos em áreas muito variadas: Europa, Malta, América do Norte e do Sul, Japão, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul e Índia. Na altura em que o Megalodon viveu, os oceanos eram muito mais quentes do que são na atualmente, por isso é possível encontrar vestígios da sua existência em regiões que hoje não sejam banhadas por águas quentes.

Pensa-se que o Megalodon se alimentava principalmente de baleias primitivas e que as caçava de um modo semelhante ao do atual tubarão-branco, ou seja, seguia a presa por baixo, até que, numa subida inesperada atacava o animal com uma única dentada, que devia ser muitas vezes fatal.

A comunidade científica concorda que a extinção do Megalodon se deveu a bruscas alterações climáticas e geológicas: no final do Plistocênico  muitas espécies de baleias migraram para os pólos e para outras zonas de águas mais frias, ficando fora do alcance do Megalodon. Posteriormente, na Primeira Idade do Gelo, o congelamento das águas fez com que as correntes marítimas se alterassem , resultando num recuo do nível das águas do mar em diversos locais que serviam de habitat ao Megalodon.

Muitos cientistas, seguindo vários avistamentos de tubarões gigantes, um pouco por todo o mundo, defendem a ideia de que o Megalodon não desapareceu do nosso mundo e continua a nadar nas profundezas dos mares. 

"Se os Megalodon viveram até à 10000 anos atrás, porque não até aos dias de hoje?"


É esta a principal interrogação que os Criptozoólogos utilizam como fundamento. Há, no entanto, o contraponto. Isto é, muitos cientistas, depois da análise química e dos estratos geológicos onde foram encontrados esses dentes "frescos", concluíram que esse aspecto apenas se deve aos vários minerais que os rodeavam, conferindo-lhes um aspecto "menos fossilizado".


Fontes:
wikipedia.com
criptozoologia.net
ghostmedia.com
Sites arqueólogos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...