Páginas

30 de out de 2016

Yu-Gi-Oh! - The Oblivion Card

- Voltando à ativa com uma Creepypasta, para relembrar os tempos primordiais do blog, bora

A febre do maior jogo de cartas do mundo estava em alta no Brasil. Todos os dias na escola, eram duelos e mais duelos no intervalo, trocas de cartas e estratégias (e algumas ocorrências em que chamavam nossas mães, mas vamos deixar pra lá né). Eu estava dando uma olhada nos cards de Yu-Gi-Oh! dos meus irmãos, para ver se eu poderia vender alguns deles, vi alguns bons como Red Eyes Darkness Dragon, Buster Blader e The Winged Dragon of Ra. Então me deparei com um cartão muito estranho.

Ele não tinha nome e seu Ataque e Defesa eram 6. O número de série era 0, o que não fazia sentido algum. O ano do cartão era de 1966, o que era mais estranho ainda, pois esse tempo o jogo nem existia (ao menos não em público). Era um cartão Besta / Efeito e a descrição era "..." . Achei muito estranho. A foto era de uma menina que estava sob nuvens negras. Pensei em todos os deck's de combo Dark em que ela se encaixaria... Mas não era Tuner, level alto e sem nada... Que deck serviria isso? O tipo de cartão era Dark. Eu ignorei por um tempo, frustrado. Então a peguei novamente, e levei para o scanner. A carta é esta:





Eu clareei a imagem no Paint por causa do fundo negro do card. Estudei o cartão um pouco para descobrir Yu-Gi-Oh! foi criado em 1997, não 1966. Isso era estranho. Mostrei o cartão ao meu irmão e ele não tinha memória do mesmo. Levei o cartão para uma Comic Shop próxima e eles me chutaram para fora e disseram que não queriam nada comigo ou com meu cartão. Pensei algo do tipo "o que será que tem esse cartão?". Eu joguei-o no lixo e fui para a cama. Mais tarde naquela noite eu acordei com uma som estranho vindo do andar de baixo. Desci as escadas e encontrei o cartão no meio da minha sala de estar.
"Mas o que..." eu pensei, meu irmão está está me pregando uma peça em mim.
Eu gritei: 
"Porra, Roger! Pare de brincar comigo!"
Meus pais estavam em um sono profundo e, felizmente não me ouviram. Roger, meu irmão, acordou e veio me perguntar o que estava acontecendo. Respondi: 
"Isso! Você tirou o cartão do lixo e colocou aqui só para me irritar!".
Ele respondeu:
 "O quê? O que é este cartão afinal? '
"Pare de mentir! Você sabe o que esta carta é!"
"Não, eu realmente não sei." Me olhando muito bravo.
"Sério?"
"Claro, por que eu iria assustar você com um cartão que eu nunca vi antes em minha vida? Ha, boa noite."
Ele foi para a cama. Eu ainda não acreditei nele. O ruído acabou por ser o meu gato.

Acordei pela manhã, e encontrei o cartão no meu bolso, meu irmão deve ter colocado aqui, pensei. Desci as escadas.
"Roger! Verdade? OUTRA VEZ?"
"O quê?"
"Você colocou isso no meu bolso! Eu sei que você fez!"
"O quê? Você mesmo deve ter colocado ele aí!".
"Não! Eu coloquei de volta no lixo! Você fez isso!"
"Não? Mas que cacete, cara, por que eu iria mexer com você por causa dessa carta estúpida?"
"Tá certo..." percebi que discutir era inútil.

Eu joguei o cartão fora. O caminhão de lixo veio e levou embora. Eu os vi levando todo o lixo embora, agora Roger não vai brincar comigo novamente. Mais tarde naquele dia, meu irmão saiu para jogar em algum torneio estúpido de Yu-Gi-Oh! no shopping. Fui até o meu quarto para jogar um pouco de XBOX quando vi o cartão, em cima do console, junto com o game do Yu-Gi-Oh! do meu irmão.

Agora eu comecei a ficar assustado, puta que pariu.

Peguei o jogo estúpido e quebrei no meio, e desta vez amassei o cartão todo, e joguei novamente no lixo. Joguei Modern Warfare 2 até o jantar. Roger estava chorando por causa do jogo quebrado. Eu estava rindo por dentro.

Mais tarde naquela noite eu fui para cama. Eu encontrei o cartão, mas ele quase não estava amassado.
Assim que peguei o cartão nas mãos, ouvi um sussurro, bem baixinho, dizendo:
"Vem jogar comigo...".
Entrei em baixo dos cobertores e cobri a cabeça.

Eu fui acordado às 2h00 da manhã por Roger, me olhando com uma expressão pálida.
"Ei! O que está acontecendo?"
Nenhuma resposta.
"O que está acontecendo com você?"
"Vamos jogar, pegue suas cartas"
"Eu não vou pegar nada"
Roger, em seguida, me agarrou e me puxou para as escadas, quebrei uma perna por causa disso...

Depois que eu me recuperei, eu falei com Roger pela primeira vez desde o incidente.
"Roger? Por quê?"
"O quê?"
"Você quebrou minha perna!"
"Não, você caiu da escada, você deve ter sofrido algum trauma na cabeça ou algo assim..."
"NÃO! Você me puxou para baixo das escadas! Não se lembra?"
"Não, eu estava dormindo quando aconteceu."
"Você estava o que? O que está acontecendo? Desde que a carta..."
"Esta carta?" Roger me mostrou o cartão.
"O quê? Onde você conseguiu isso?"
"Você me mostrou antes de cair. Você disse: 'Pegue este cartão. Venha jogar Yu-Gi-Oh! comigo!' e eu disse não. Você disse 'Eu vou levar o cartão embora...' E voltou a dormir."
"Verdade? Mas eu não me lembro assim..."
"Sim. Foi o que aconteceu, então você caiu."

Meu irmão ficou muito assustado com o caso da carta. Ele me disse que em um dos torneios que participou, ele mostrou a carta para outro menino, que de imediato quis trocar, dizendo que era uma carta rara. Roger trocou o cartão, mas disse que nunca mais viu o tal garoto em nenhuma competição.

Até evito de pensar assim, mas será que aconteceu algo com o novo dono do cartão?"



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...