Páginas

21 de jan de 2015

Criptobiose Pode Nos Levar Ilesos ao Espaço

Uma das maiores buscas científicas é a exploração interestelar. Porém, existem muitos recursos que impedem isso facilmente, não é simplesmente pegar uma nave e subir (não fisicamente subir...) para o espaço. Precisa-se proteger os próprios peregrinos que partem, potência para velocidades, entre dezenas de outras coisas. Iremos falar neste post sobre a sobrevivência humana no espaço.


A Criptobiose é um estado de latência que pode ser presenciado em alguns animais, quando se encontram em condições adversas do meio-ambiente (temperaturas extremas, baixa umidade, entre outros). No estado criptobiótico, todos os procedimentos metabólicos param. Como se sabe, uma sobrevivência no espaço em si é, por enquanto, impossível. Não tardaria após 5 ou 6 meses, dentro de uma nave, aos osso atrofiarem devido às pressões e falta de gases importantes para os ossos.

Um organismo em tal estado, criptobiótico, pode viver indefinidamente até que as condições ambientais voltem à normalidade. Alguns rotíferos, nemátodas e tardígrados possuem essa capacidade. Os cientista buscam saber como esse estado corporal vem a funcionar, e tentar aplicá-los em humanos para que possam irem ao espaço sem "risco" de fraquejamento do corpo (uma viajem d elonga distância leva muito tempo, então a busca para o anti-envelhecimento ou conservação também está em desenvolvimento), podendo te ruma viagem segura até, por exemplo, Marte, que leva cerca de 6 a 7 meses de viagem 

A Anidrobiose também entra nas especulações, é a suspensão temporária das atividades vitais que possibilita a um organismo (animal ou vegetal) suportar uma longa desidratação. São seres vivos que conseguem sobreviver quase sem água, como sementes de vegetais superiores e esporos de bactérias. A idéia de tudo é que aplique-se no DNA humano para termos tal habilidade.

The new frontier is coming...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...